Compare Preços

Compare Produtos, Lojas e Preços

sábado, 26 de dezembro de 2009

Palmeiras e Grêmio realizam troca, e Léo chega ao Verdão em definitivo

As diretorias de Palmeiras e Grêmio chegaram a um acordo durante a tarde desta sexta-feira (18) e selaram a troca entre os zagueiros Maurício e Léo. Maurício segue para o Tricolor gaúcho por empréstimo de um ano, enquanto Léo chega ao Palmeiras em definitivo por cinco anos de contrato, até dezembro de 2014. Além disso, uma antiga dívida que o Grêmio tinha com o Palmeiras envolvendo o atacante Paulo Nunes foi reduzida para R$ 1,5 milhão, que será paga em parcelas.

Léo é o primeiro reforço do Palmeiras para a próxima temporada. Aos 21 anos, o jogador teve uma trajetória de sucesso desde que foi descoberto das categorias de base do Grêmio e despontou no time profissional, em 2007. O gerente de futebol do Verdão, Toninho Cecílio, foi pessoalmente ao encontro em Porto Alegre ratificar o acordo. "O Léo era um dos objetivos do Palmeiras e conseguimos fazer com que a negociação fosse boa para os dois clubes. Estamos satisfeitos e vamos contar com um excelente jogador em nosso elenco", comemorou.

Léo é natural de Belo Horizonte-MG e iniciou atuando no Grêmio em 2002, com apenas 14 anos. Após uma excelente passagem pelo time gaúcho entre 2007 e 2008 [realizou 117 partidas e marcou 10 gols], foi convocado pelo técnico Dunga para servir a seleção brasileira no amistoso contra a Suécia, realizado em março de 2008.

A apresentação do defensor deverá acontecer na reapresentação do clube, no dia 5 de janeiro, na Academia de Futebol. Confira a ficha técnica do zagueiro Léo:

Nome completo: Leonardo Renan Simões de Lacerda
Data de nascimento: 30/01/1988 [21 anos]
Natural de:. Belo Horizonte-MG
Altura 1,85m
Peso 84kg
Clubes: Grêmio [nos profissionais desde 2007]
Títulos: Campeão Gaúcho [2007]

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Muricy faz pedido à torcida e diz que trocaria tudo pelo título

O técnico Muricy Ramalho falou em tom de desabafo durante a entrevista coletiva concedida logo após a vitória sobre o Atlético-MG, na sala de imprensa do estádio Palestra Itália. O treinador afirmou que o time foi injustiçado nas últimas semanas e fez um pedido para a torcida palmeirense.

"Nós fomos humilhados nos últimos dias. Tomamos porrada de manhã, de tarde e de noite. Ninguém acreditava em mais nada do que era feito aqui. Chega a ser ridículo algumas coisas que são faladas, pois muitas são maldosas e mentirosas. Nós fomos humilhados por muita gente, e o pedido que eu faço para os palmeirenses é que eles se juntem mais com a gente e acreditem mais nas pessoas que estão aqui. Às vezes, é levado muito a sério o que é falado aí de fora. A torcida palmeirense precisa acreditar mais no clube", declarou.

Ainda aliviado com o resultado positivo obtido neste domingo, Muricy deixou claro que ainda mantém esperanças no título e foi além, lembrando do seu falecido pai, que era palmeirense.

"Lembrei muito do meu pai após o jogo, mas também das coisas que aconteceram durante a semana. Foram dias difíceis. Eu acho que o mal não pode vencer o bem. Trocaria muita coisa do que já conquistei por esse título pelo Palmeiras. Sei da necessidade e de quanto o torcedor espera por esse momento", disse.

"Não vamos nos entregar. Já ganhei campeonato quando ninguém acreditava. Temos chances e vamos ao Rio de Janeiro procurando fazer a nossa parte. Não vou desistir agora, pois todos os times pegam pedreiras pela frente", completou.

Com gol de placa, Palmeiras vence Atlético-MG por 3 x 1 e segue na briga

O Palmeiras venceu o Atlético-MG por 3 x 1 em apresentação de gala no Palestra Itália, na tarde desse domingo (29), pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009. A partida foi emocionante, com defesas espetaculares de Marcos, atuação segura da zaga, gol histórico de Diego Souza, o reencontro de Vagner Love com as redes e um show dos armadores Cleiton Xavier e Deyvid Sacconi. A torcida palmeirese também fez bonito, enchendo o estádio e fazendo linda festa.

O torcedor Alviverde teve várias surpresas na escalação inicial: Maurício Ramos voltou à zaga, Wendel entrou na lateral esquerda, Sandro Silva e Edmilson começaram como volantes. Na armação, Cleiton Xavier começou o jogo como titular, ao lado de Deyvid Sacconi. Diego Souza foi deslocado para o ataque ao lado de Vagner Love. Um Palmeiras novo depois dos dias de treino em Itu.

E a armação do treinador Muricy Ramalho deu rápido resultado: com menos de um minuto de jogo, após trocas de bola desde o campo de defesa até a entrada da área do Atlético-MG, Diego Souza achou Deyvid Sacconi livre na direita. O camisa 26 cruzou, Vagner Love não alcançou mas Cleiton Xavier mandou de carrinho para o fundo das redes. Gol do Verdão! Palmeiras 1 x 0 Atlético-MG.

O jogo ficou aberto, com os dois times buscando o ataque o tempo todo. O adversário respondeu aos 5 min, em chute perigoso de Diego Tardelli que raspou a trave direita de Marcos. A torcida palestrina quase comemorou outro gol aos 8 min, quando Vagner Love levou chutou rasteiro, mas do lado de fora das redes. Aos 12min, porém, Tardelli recebeu passe enfiado, arrancou e tocou na saída de Marcos. Palmeiras 1 x 1 Atlético-MG.

Quando o jogo parecia que ia ficar difícil, o Verdão voltou a ficar na frente, em um gol antológico de Diego Souza. Aos 16 min, depois de dividida de Vagner Love com o goleiro Carini, a bola foi rebatida para o meio de campo. O camisa 7 do Verdão pegou de primeira, sem deixar a bola cair, e encobriu o goleiro atleticano, levando o Palestra Itália à loucura. Golaço! O Palmeiras fazia 2 x 1 num começo de jogo eletrizante, com direito a gol de placa.

E a partida seguia lá e cá, sem dar tempo para o torcedor respirar. Aos 19 min, Diego Tardelli tentou surpreender Marcos batendo de fora da área, mas o goleiro palmeirense espalmou pra escanteio. O Atlético-MG tentava chegar a um novo empate cruzando bolas insistentemente na área, mas os zagueiros Danilo e Maurício Ramos tiravam todas. O Alviverde respondia com os passes precisos de Cleiton Xavier: aos 29 min, ele achou Figueroa em boa posição no meio da área, mas Carini tirou a bola do chileno antes da conclusão.

Aos 37 min, o Atlético-MG chegou com muito perigo. Marcos, porém, impediu o gol com duas grandes defesas, uma delas com os pés. Mas o Galo seguia assustando com os chutes de Diego Tardelli. O goleiro do Verdão mostrava-se extremamente seguro e garantia a vantagem para o Palmeiras.

Depois de levar sufoco, o Alviverde respondeu de maneira fatal, aos 45 min do primeiro tempo: Deyvid Sacconi, em passe preciso, achou Vagner Love no meio dos zagueiros atleticanos. O artilheiro não desperdiçou, e mandou para o fundo das redes. Palmeiras 3 x 1, e a primeira etapa acabou com muita festa da torcida palmeirense, que encheu o Palestra Itália.

A segunda etapa também começou pegando fogo, com os times jogando de maneira totalmente ofensiva. O Atlético-MG assustou aos 4 min, em chute do lateral Thiago Feltri por cima do gol. O Verdão tentou a resposta em jogada individual de Diego Souza, mas o camisa 7 se enrolou com a defesa do Galo e o lance não seguiu. O time mineiro tentava atacar para diminuir o prejuízo, mas a defesa do Alviverde fazia grande exibição. O Alviverde encontrava espaços para os contra-ataques com o rápido Vagner Love, mas não conseguia ampliar o placar.

Aos 20 min, Maurício Ramos sentiu cansaço, pois voltava de contusão, e deu lugar a Marcão na zaga palmeirense. Lá atrás, Marcos garantia o resultado, com defesas seguras. O ritmo do jogo caiu, e as equipes começaram a errar muitos passes. Figueroa tentou aos 27 min, batendo cruzado, mas Carini pegou. No minuto seguinte, Cleiton Xavier sentiu a falta de ritmo de jogo e pediu substituição. O volante Souza entrou no lugar do camisa 10, que saiu ovacionado pela torcida.

Com 32 min, Diego Souza voltou a aparecer, dessa vez em cobrança de falta na entrada da grande área. A bola, todavia, explodiu na barreira. Aos 38 min, o próprio camisa 7 foi substituído, e também teve seu nome gritado pela torcida. O paraguaio Ortigoza entrou para reforçar o ataque. Sem precisar forçar, o Verdão cadenciou o jogo e garantiu a vitória, indo aos 62 pontos, a apenas dois da liderança do campeonato. Depois da boa atuação, o time saiu aplaudido pela torcida.

Na próxima partida, contra o Botafogo-RJ, no domingo (06), o Verdão tem a chance de ser campeão. A equipe precisa vencer a equipe carioca e torcer por tropeços de Internacional-RS e Flamengo-RJ, na última rodada do Brasileirão.

Ficha técnica

PALMEIRAS 3 X 1 ATLÉTICO-MG

PALMEIRAS
Marcos; Figueroa, Maurício Ramos (Marcão), Danilo e Wendel; Edmílson, Sandro Silva, Deyvid Sacconi e Cleiton Xavier (Souza); Diego Souza (Ortigoza) e Vagner Love
Técnico: Muricy Ramalho

ATLÉTICO-MG
Carini; Carlos Alberto, Werley, Benítez e Thiago Feltri (Rentería); Jonílson, Renan, Márcio Araújo (Correa) e Evandro; Diego Tardelli e Éder Luís (Ricardinho)
Técnico: Celso Roth

Data: 29/11/2009 (domingo)
Local: estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Erich Bandeira (PE) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF)
Público: 25.402 torcedores
Renda: R$ 583.961,00
Cartões amarelos: Sandro Silva (PAL); Carlos Alberto 2, Thiago Feltri, Rentería, Ricardinho (ATL)
Cartão vermelho: Carlos Alberto (ATL)
Gols: Cleiton Xavier, a 1min, Diego Tardelli, aos 12min, Diego Souza, aos 16min, Vagner Love, aos 45min do primeiro tempo

domingo, 8 de novembro de 2009

Vai Segurando!!!!

Delegação palmeirense chega ao RJ e Obina fala sobre retorno ao Maracanã

Agência Palmeiras

O elenco palmeirense realizou na manhã deste sábado (07) o último treino antes da partida contra o Fluminense, que acontece neste domingo (08), às 16h, no estádio do Maracanã.

Os jogadores realizaram um treino técnico, seguido de um animado recreativo. Todo o elenco participou do treino, com exceção de Edmílson e Maurício Ramos, que fizeram trabalho de fortalecimento muscular, e Cleiton Xavier e Willians, que ficaram na fisioterapia.

O elenco chegou às 16h20 em Copacabana, no Rio de Janeiro, com bastante tranquilidade. Pelo menos 50 torcedores recepcionaram a equipe na chegada do Aeroporto Santos Dumont. Um dos mais assediados, o atacante Obina falou sobre o retorno ao Maracanã após quase um ano.

"Foram boas recordações no Maracanã [atuando pelo Flamengo], muitos gols em clássicos e em jogos decisivos. Me sinto bem nesse estádio, pois sempre fui tratado com respeito e carinho. Mas meu pensamento está primeiro em tentar fazer um grande jogo e ajudar o Palmeiras a conquistar os três pontos. Estamos muito concentrados e bastante preparados para essa partida, que será extremamente difícil", afirmou, na chegada ao Rio de Janeiro.

Confira o histórico dos confrontos entre Palmeiras e Fluminense

Agência Palmeiras

Geral: 89 jogos
51 vitórias do Palmeiras [ 164 gols ]
14 empates
24 vitórias do Fluminense [ 129 gols ]

No Campeonato Brasileiro: 33 jogos
20 vitórias do Palmeiras [ 58 gols ]
07 empates
06 vitórias do Fluminense [ 40 gols ]

>> Como visitante, o Palmeiras também está em vantagem sobre o Fluminense no retrospecto geral: em 42 jogos, são 18 vitórias [60GP], 8 empates e 16 derrotas [62GC].

>> No Campeonato Brasileiro como visitante, são 18 jogos, com 8 vitórias do Verdão [27GP], 5 empates e 5 derrotas [25GC].

>> Primeiro jogo da história entre os dois clubes. 30/05/1926: Palestra Itália 3x2 Fluminense, no Palestra Itália. Gols: Amílcar, Melle e Ebraico/contra (P); Nilo e Coelho (F).

>> Primeiro jogo da história no estádio do Maracanã entre os dois clubes. 02/03/1952: Fluminense 2x2 Palmeiras. Gols: Rodrigues/2 (P); Simões e Orlando (F).

>> Primeiro jogo da história entre os dois clubes pelo Campeonato Brasileiro. 04/09/1971: Palmeiras 1x0 Fluminense. Gol: Eurico.

>> Contra cariocas: o Palmeiras tem um excelente retrospecto contra times cariocas na Era pontos corridos: em 42 jogos disputados desde 2004 [em 2003 o Verdão disputou a Série B], foram 23 vitórias, 10 empates e somente 9 derrotas. A equipe marcou 76 gols e sofreu 54. O aproveitamento é de 62%.

>> No 1.o turno do Brasileiro deste ano, no primeiro jogo sob o comando de Muricy Ramalho, o Verdão venceu por 1x0, gol de Diego Souza, no estádio Palestra Itália. O time jogou com Marcos; Wendel, Maurício Ramos, Danilo e Armero; Pierre, Edmilson, Souza (Ortigoza) e Cleiton Xavier; Diego Souza e Obina (Marcão).

Últimas partidas pelo C. Brasileiro:
29/07/09 - Palmeiras 1x0 Fluminense
25/10/08 - Fluminense 3x0 Palmeiras
16/07/08 - Palmeiras 3x1 Fluminense
14/11/07 - Palmeiras 1x0 Fluminense
05/08/07 - Fluminense 0x1 Palmeiras

>> Maiores goleadas: o Palmeiras ganhou do Flu por 5 a 1 no Brasileiro de 1996 [no PR], e por 6 a 2 no Torneio Rio-SP de 2000 [em SP]. Já o Flu venceu o Palmeiras por 5 a 1 no Torneio Rio-SP de 1967 [no RJ], e por 6 a 2 no Brasileiro de 2001 [em SP].

>> Curiosidades: O placar de 1x0 é o mais comum entre os dois times: aconteceu em 13 dos 89 jogos, seguido pelo placar de 2x0, que ocorreu 10 vezes. Já o resultado por três gols ou mais de diferença aconteceu 20 vezes.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Palmeiras fica atrás duas vezes, mas busca empate épico e segue líder


Agência Palmeiras
01/11/2009 18h10


Palmeiras e Corinthians fizeram jogo emocionante em Presidente Prudente e empataram em 2 x 2 pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009. Com o resultado, o Verdão manteve-se na liderança da competição, pelo saldo de gols. Os destaques do jogo foram os zagueiros Danilo e Maurício, com um gol cada, e Figueroa, com duas assistências.



O Palmeiras, jogando de branco por causa do forte calor em Presidente Prudente, entrou com três zagueiros e com Jumar na vaga de Edmílson. E começou o jogo com tudo: logo aos 2 min, Figueroa invadiu a área pela direita e cruzou rasteiro, mas Obina, livre, não chegou na bola. O Verdão apertava a marcação no campo de ataque, jogando pela esquerda com Marcão explorando a velocidade de Armero. O jogo estava quente, com os jogadores aplicados na marcação e cometendo faltas.

Aos 9 min, Obina, destaque contra o Goiás, apareceu com perigo mais uma vez, recebendo na corrida cara a cara com Felipe, mas o goleiro antecipou e mandou pra longe. No lance seguinte, Vagner Love entrou pela direita e, mesmo marcado, conseguiu cruzar rasteiro, mas a bola atravessou a área sem ninguém tocar. O Alviverde controlava o meio-campo, e tocava a bola em busca de espaços. Aos 13 min, a torcida palmeirense quase gritou gol: Armero mandou uma bomba de fora da área, mas as bola passou raspando a trave.

Obina era o homem da tarde. Os jogadores do Verdão procuravam o camisa 28. Aos 17 min, ele recebeu bom passe de Vagner Love, porém em impedimento. Só que aos 19 min, Marcos, que estava tranquilo na partida, levou um susto: o corinthiano Edu bateu forte da intermediária e a bola saiu por cima. O Corinthians tentava chegar em cobranças de falta, mas a zaga palmeirense, atenta, tirava todas por baixo.

Aos 22 min, ótima chance para o Verdão: após contra ataque rápido, Figueroa correu pela direita e cruzou rasteiro para o meio da área, mas os atacantes Alviverdes passaram a linha da bola. Na sequencia do lance, falta para o Palmeiras na entrada da área. Depois de muita demora pra cobrar, Diego Souza bateu rasteiro e a zaga deu rebote. O camsia 7 chutou de novo, dessa vez de esquerda, mas a bola foi longe. A equipe palestrina continuava superior no jogo, com os laterais Figueroa e Armero se desdobrando em campo. Os dois times, todavia, faziam muitas faltas, deixando o jogo parado.

Aos 30 min, Marcos viu sua meta ameaçada pela segunda vez: Ronaldo invadiu a área pela esquerda e chutou cruzado. A finalização saiu ruim e foi para fora. No lance seguinte, outro susto do camisa 9 corinthiano, dessa vez após cruzamento da esquerda de Jorge Henrique. A cabeçada saiu pela esquerda. Os ataques do Corinthians deixaram Muricy Ramalho irritado. Na beirada do campo, o técnico dava instruções aos jogadores e pedia força na marcação.

Aos 36 min, o Verdão ficou em situação muito delicada: Jorge Henrique recebeu passe, invadiu a área livre e foi derrubado por Marcos. Pênalti, com direito a expulsão do camisa 12. O Goleiro reserva Bruno entrou no jogo, no lugar de Obina. E, de cara, já teve que encarar o chute de Ronaldo na marca da cal. O atacante corinthiano bateu bem e fez Palmeiras 0 x 1 Corinthians.

O Palmeiras ficou nervoso em campo. Danilo, aos 41 min, fez falta dura no meio-campo e levou cartão amarelo. E o primeiro tempo acabou, sem mais nenhuma boa chance. O Verdão foi para o vestiário em desvantagem e com um jogador a menos.

Para a segunda etapa, o Alviverde voltou com novidade: Muricy tirou Marcão, uns dos três zagueiros, e colocou o camisa 11 Marquinhos para tentar reverter o placar. Logo de início, o Corinthians mostrou que ia aproveitar a superioridade numérica, tocando a bola para cansar a marcação Alviverde e tentar partir nos contra-ataques. A tática quase deu certo aos 4 min, quando Ronaldo recebeu na área e bateu, mas foi travado por Danilo, em grande recuperação.

Marquinhos tentava jogadas pela esquerda, junto com Armero, mas o adversário estava todo atrás e dificultava a troca de passes. Aos 6 min, porém, ele ajudou muito o Verdão, sofrendo falta na intermediária. O cruzamento de Figueroa saiu preciso para Danilo, que tocou firme de cabeça: gol do camisa 23! Palmeiras 1 x 1 Corinthians. O Verdão empatava no início do segundo tempo, e a torcida palmeirense foi à loucura.

Diego Souza, com a faixa de capitão, mostrava muita raça. O camisa 7 ajudava na marcação e ainda tentava tramar jogadas com Figueroa pela direita. Aos 14 min, o Corinthians por pouco não fez: o lateral Balbuena bateu forte de fora da área e a bola explodiu no travessão. Mas Diego exibia muita disposição: em duas jogadas aos 15 min, chegou com perigo à área adversária, mas não conseguiu concluir.

Aos 20 min, porém, o Corinthians voltou a ficar na frente. Defederico deu bom passe para Ronaldo, que aproveitou a saída errada de Bruno para fazer seu segundo no jogo. Palmeiras 1 x 2 Corinthians. E a partida voltava a ficar complicada para o Verdão.

Com o calor e o jogo corrido, as duas equipes começaram a cansar e o ritmo da partida caiu. O Verdão tentava achar espaços na defesa corinthiana, mas o adversário estava todo atrás do meio-campo, com apenas um jogador mais adiantado. Aos 30 min, Muricy deu sua última catada: tirou Souza para colocar o atacante Ortigoza, mandando o time de vez ao ataque.

Quando o jogo parecia perdido pelo Palestra, a jogada aérea novamente salvou o Alviverde: aos 39 min, Figueroa, sempre ele, cruzou da direita e o zagueiro Maurício cabeceou sem chances pra Felipe: gol do Verdão! Palmeiras 2 x 2 Corinthians. Com um a menos desde o primeiro tempo, o time palestrino conseguia um empate épico no interior paulista.

Mas o jogo seguia indefinido. Aos 42 min, Dentinho cabeceou livre na pequena área, por cima da meta de Bruno. Já nos acréscimos, o Palmeiras teve boa chance em cruzamento pela direita, mas a zaga adversária tirou. No último lance da partida, o Corinthians cruzou bola na área, sem perigo. Final de jogo, Palmeiras 2 x 2 Corinthians, em grande clássico. O Palmeiras mostrou grande poder de reação, ao buscar o empate na complicada tarde deste domingo (01).

O Verdão volta a jogar no próximo domingo (08), contra o Fluminense-RJ, no Rio de Janeiro, pela 33ª rodada do Brasileirão. Os desfalques certos serão o goleiro Marcos, expulso no clássico, e o atacante Ortigoza, que levou o terceiro cartão amarelo no final da partida.

Ficha técnica

PALMEIRAS x CORINTHIANS

Palmeiras
Marcos; Danilo, Maurício e Marcão (Marquinhos); Figueroa, Jumar, Souza (Ortigoza), Diego Souza e Armero; Obina (Bruno) e Vagner Love
Técnico: Muricy Ramalho

Corinthians
Felipe; Jucilei, Chicão, William e Balbuena (Dentinho); Boquita, Elias, Edu e Defederico (Edno); Jorge Henrique (Souza) e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes

Data: 01/11/2009 (domingo)
Local: estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Cartões amarelos: Diego Souza, Jumar, Danilo, Vagner Love, Ortigoza (PAL); Chicão, Elias (COR)
Cartão vermelho: Marcos (PAL)
Gols: Ronaldo, aos 39min do primeiro tempo; Danilo, aos 6min, Ronaldo, aos 20min, e Maurício, aos 39min do segundo tempo

sábado, 31 de outubro de 2009

Palmeiras faz exibição de gala e goleia no Palestra


O Palmeiras fez uma exibição de gala na noite desta quinta feira (29), no estádio Palestra Itália, e venceu o Goiás por 4x0 em partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009. Com o resultado, o time alviverde chegou aos 57 pontos na primeira posição.

O gramado, molhado pela chuva que caiu na cidade de São Paulo, apresentou boas condições para o jogo, que teve a primeira chance de gol aos 3 minutos, com o lateral esquerdo Pablo Armero pegando sobra de jogada aérea na área do Goiás e mandando por cima do gol de Harlei. O adversário respondeu com uma boa jogada de Iarley, que recebeu de Fernandão e finalizou com estilo para a defesa de Marcos.

O talento de Diego Souza começou a aparecer aos 11 minutos, quando o ‘7’ do Verdão driblou dois jogadores do Goiás no meio campo e finalizou rente à trave direita de Harlei. Aos 13min, Léo Lima respondeu com chute de fora da área para fora. Aos 18min foi a vez de Iarley mandar para fora depois de chutar de longe. Aos 24min, Figueroa cobrou falta na cabeça de Obina e Harlei fez grande defesa. Aos 32min, o volante Edmílson sentiu uma contusão e foi substituído por Sandro Silva.

Aos 34min a torcida palestrina viu a falta cobrada por Diego Souza bater caprichosamente no travessão. Aos 37min, novamente Diego finalizou de fora da área, desta vez por cima do gol adversário. A equipe alviverde tinha maior posse de bola e buscava tirar o zero do placar, mas os primeiros 45 minutos terminaram com um empate.

O grito de gol, preso na garganta palmeirense, voltou a sair aos 4 minutos do segundo tempo! Souza fez grande jogada pelo meio campo e tocou para Obina invadir a área e bater com categoria na saída de Harlei, 1 x 0 Verdão! O gol deu mais tranqüilidade ao time palestrino, que teve nova chance de gol aos 7min, quando Ortigoza cruzou na boca da área adversária e a bola bateu na mão de Léo Lima, mas o juiz nada marcou.

Aos 14min, Rafael Toloi falhou, Ortigoza recuperou a bola, invadiu a área e Harlei fez grande defesa. Aos 17min, nova chance para o atacante paraguaio, que bateu cruzado para fora. Aos 22min, Figueroa cobrou falta diretamente para o gol e Harlei, mais uma fez, fez grande defesa. Aos 28min, Ortigoza foi derrubado por Rafael Tolói na área, pênalti! Obina cobrou com precisão e fez o segundo, 2x0 Palmeiras!

O adversário tentou reagir: aos 31min, Ramalho recebeu na área e bateu no contrapé de Marcos, que foi buscar e mandou para escanteio. Deyvid Sacconi entrou no lugar de Ortigoza aos 32min da etapa final e o paraguaio foi muito aplaudido pela torcida. No primeiro lance de Sacconi no jogo, o meia do Palmeiras fintou Rafael Tolói, que fez a falta e recebeu o segundo cartão amarelo, deixando o Goiás com um homem a menos. A consagração do jovem meia palestrino veio logo depois: Obina deixa de calcanhar para Deyvid Sacconi, que finaliza com propriedade, 3x0 Palmeiras!

O Verdão jogava fácil. Aos 41 minutos, Obina foi lançado na área e tocou na saída de Harlei, 4x0 Palmeiras, para ninguém botar defeito. O Verdão administrou a posse de bola até o fim do jogo e concretizou uma grande goleada em casa, para mostrar que o líder voltou. Agora, o clube volta a campo no domingo (01/11), no derby contra o rival.

Palmeiras 4 x 0 Goiás

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique-RJ (FIFA)
Público: 18.070 pagantes
Renda: R$ 722.461,24

Palmeiras
Marcos; Danilo, Maurício e Marcão; Figueroa, Edmilson (Sandro Silva), Souza, Diego Souza e Armero; Ortigoza (Deyvid Sacconi) e Obina (Robert).
Técnico: Muricy Ramalho.

Goiás
Harlei; Ernando, Rafael Tolói e Valmir Lucas; Amaral (Ramalho), Fernando, Léo Lima (Felipe), Romerito (Douglas) e Júlio César; Iarley e Fernandão.
Técnico: Hélio dos Anjos.

Cartões Amarelos: Sandro Silva (Palmeiras); Amaral, Rafael Tolói, Valmir Lucas, Fernando (Goiás)
Cartão Vermelho: Rafael Tolói (Goiás)

Gols: Obina aos 4min/2T, aos 29min/2T, de pênalti, e aos 42min/2T e Deyvid Sacconi aos 38min/2T (Palmeiras)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Busão Novo!!!!!

Danilo absorve críticas e exige reação: 'Vamos ganhar pela torcida'


Agência Palmeiras
Fábio Finelli
27/10/2009 14h17
O zagueiro Danilo concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (27), em Atibaia, e fez questão de dizer que as críticas que o elenco sofreu nas últimas partidas precisam ser absorvidas com naturalidade por todos.

"Eu sou um jogador que não me abalo com críticas ou cobranças. Quem joga em time grande, de massa, precisa estar acostumado com isso. O que a imprensa fala ou deixa de falar não nos diz respeito. Nossa parte tem que ser dentro de campo, entrar e ganhar os jogos. Se isso acontecer, seremos elogiados. Caso contrário, as críticas vão aparecer", explicou o defensor que, no entanto, saiu em defesa dos companheiros pelos gols sofridos nas últimas rodadas.

"Realmente tivemos uma queda. Fazia muito tempo que não tomávamos gol de cabeça. É um momento ruim que estamos vivendo, mas isso tem a ver também com entrosamento. Nas últimas 12 ou 13 partidas, o Muricy sempre teve que mudar algum defensor. Não é desculpa, é fato", destacou.

Além de ganhar pelo próprio grupo, o camisa 23 palmeirense entende que o time deve voltar a vencer também pelo torcedor. "A torcida em nenhum momento abandonou o time e tem dado uma força fora do normal. Nós estamos devendo. Eles estão lá em todos os jogos incentivando e apoiando. Devemos voltar a fazer a nossa parte, pois o Palmeiras é muito maior do que esses pequenos problemas que estavamos vivendo."

Danilo também pediu para o elenco e os torcedores esqueceram os adversários e concentrarem forças apenas na própria equipe. "Não temos que ficar pensando nos outros. O Palmeiras depende apenas de si para manter a ponta e buscar o título. Estamos muito concentrados e buscando forças para continuar atrás do nosso objetivo."

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Elenco se mantém focado no jogo desta quarta e na briga pelo título

Agência Palmeiras
Jairo Giovenardi
20/10/2009 19h22


Os jogadores do Palmeiras deixaram o Flamengo para trás e pensam apenas no Santo André, adversário desta quarta-feira, às 21h50, no Estádio Bruno José Daniel.

Perguntado se o elenco teme perder o título brasileiro depois de 16 rodadas na primeira colocação, o meia Cleiton Xavier fez questão de dizer que Diego Souza foi mal interpretado em sua entrevista coletiva e que todos estão focados no Santo André e claro, na conquista do título.

“O Diego não quis dizer que estamos temerosos quanto ao futuro, muito pelo contrário. Nós estamos ainda mais concentrados e focados na briga pelo título brasileiro. Ninguém aqui teme perder o título. Temos o mesmo pensamento, de continuar brigando, e estamos trabalhando forte para alcançar este objetivo”, afirmou.

Quem compartilha deste pensamento é o lateral-direito Wendel, que já fez mais de 100 jogos com a camisa alviverde [138, no total] e não perde a concentração, mesmo após uma derrota.

“Perder um clássico, como foi contra o Flamengo-RJ, é difícil, mas estamos focados no Santo André, que será um adversário muito difícil. Sabemos que agora será assim, uma batalha jogo a jogo para que seja possível conquistar o título”, disse.

sábado, 17 de outubro de 2009

É nóix!!!!!!

Jogadores falam sobre o jogo diante do Flamengo.

Logo depois do treino da tarde desta sexta-feira (16), na Academia de Futebol, o meia Cleiton Xavier falou com exclusividade ao site oficial.

O atleta fez questão de dizer que o time carioca não está bem na tabela por acaso e que será um adversário dificílimo, domingo, às 16h, no Palestra Itália.

“Independentemente de ser no Rio de Janeiro ou em São Paulo, enfrentar o Flamengo é sempre difícil e, desta vez, não será diferente”, afirmou.

Já sobre a liderança no Brasileirão, o camisa 10 palmeirense afirmou que a união do grupo palmeirense fará com que o time se mantenha firme em busca do título.

“O elenco é bom, os jogadores são excelentes e somos muito amigos. Sabemos da importância de vencer este jogo para mantermos a vantagem na liderança e, para nós, é um jogo decisivo”, disse.

Quem também falou ao site oficial do Palmeiras foi o atacante paraguaio Ortigoza, que esteve em campo no duelo do primeiro turno, quando o Verdão venceu o Flamengo-RJ, no Maracanã, por 2 x 1.

Ortigoza foi o autor de um dos gols da equipe comandada, naquela ocasião, pelo técnico Jorginho. O outro foi de Diego Souza.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Volta Pierre!!!!Estamos com você!!!!!

Atletas garantem que equipe continua unida e focada pelo título


Agência Palmeiras
Fábio Finelli
14/10/2009 12h45

Na reapresentação do elenco palmeirense na manhã desta quarta-feira (14), na Academia de Futebol, os jogadores que concederam entrevista coletiva garantiram que a equipe segue extremamente focada na luta pela conquista do título Brasileiro. Para o volante Edmílson, a desconfiança gerada pelos dois últimos resultados não vai interferir no ambiente nesta reta final de competição.

"A gente sabe que o torcedor ficou um pouco triste pelo fato de não termos vencido esses dois últimos jogos. Acho que gerou uma desconfiança até em relação a vocês da imprensa, mas posso garantir que aqui dentro estamos focados e totalmente concentrados. Nosso time é consciente e estamos convictos e preparados para encarar esses nove jogos finais como autênticas decisões."

Edmílson entende que a derrota para o Náutico foi difícil de engolir, mas deixou claro que o resultado foi compartilhado por todo o elenco. "Não existe essa coisa de reserva ou titular. Continuamos unidos e quem perdeu foi o Palmeiras. Tínhamos como objetivo dois bons resultados contra Avaí e Náutico, mas aconteceram imprevistos. Os líderes falharam na rodada, isso acontece. Mas temos condições de reagir, pois esse grupo já provou ser forte nas adversidades."

O lateral-direito Wendel compartilhou das palavras e falou que o pensamento do grupo está voltado para a reação imediata na partida contra o Flamengo, neste domingo, no estádio Palestra Itália.

"Aqui internamente não existe negativismo. Nós temos conversado entre a gente e temos autocrítica para saber o que está certo e errado. Fizemos dois jogos que não estavam nos planos, pois queríamos a vitória. Mas mantivemos a vantagem na liderança e só depende da gente manter nossa condição no campeonato."

O camisa 17, que entrou durante o segundo tempo do jogo contra o Náutico, falou que a atuação desta última rodada não vai se repetir. "Nós temos consciência que foi um jogo fora do normal. Mas não vai se repetir. Se perdemos, a culpa não foi de quem entrou. A partida foi mesmo difícil e não atuamos bem, mas já estamos conversando e trabalhando forte para mudar essa situação já na partida contra o Flamengo."

Edmílson completou dizendo que, nesse momento, os líderes do time podem fazer a diferença para a equipe voltar ao rumo das vitórias. "Eu procuro cobrar os mais jovens orientando e conversando sobre posicionamento e postura. Já fui jovem e também errava bastante por afobação. Nós temos os pilares do time, e num momento como esse, sabemos como controlar a situação."

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Cleiton Xavier fala da expectativa para o duelo contra o Avaí

Logo após o último treino antes do jogo diante do Avaí-SC, o meia Cleiton Xavier falou com exclusividade ao site oficial sobre a expectativa para a partida, destacando os pontos fortes do adversário e demonstrando tranquilidade para o confronto.

“Sabemos que será um jogo complicado, contra um Avaí que está fazendo belo campeonato, com o Silas. O time tem o Marquinhos, o Muriqui, o Emerson, que jogou comigo. O Avaí-SC vêm bem desde o ano passado. Será um jogo muito difícil”, afirmou.

O camisa 10 palmeirense pediu cautela para este jogo, já que o Avaí conseguiu bons resultados fora de casa neste Brasileirão [3 vitórias e 4 empates como visitante].

“Temos que jogar para frente, mas com muita calma, sem desespero, para conseguir fazer os gols e chegar à vitória”, concluiu.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Autor do gol 100, Diego Souza comemora mais uma boa atuação


O meia Diego Souza mais uma vez desequilibrou uma partida a favor do Palmeiras. Na vitória de 3x1 sobre o Santos, neste domingo, o camisa 7 marcou o gol de empate, participou dos outros dois e saiu de campo aclamado pelos companheiros e também adversário.

"Deu tudo certo para o nosso time. No primeiro tempo, o jogo estava muito amarrado, sem muitas alternativas. Já na etapa final, os dois times passaram a procurar mais o gol e eu tive espaço para armar e atacar", analisou o jogador, que fez o gol de número 100 do Palmeiras na temporada.

"É uma marca legal , fica registrado na história, mas o mais importante é que nós conseguimos os três pontos. Vencer na Vila Belmiro é sempre complicado, e à essa altura da competição, esse resultado faz a diferença", explicou.

Mesmo com a boa vantagem de cinco pontos que o Verdão tem na liderança para o segundo colocado, Diego Souza acredita que o time vai manter os pés no chão para as 11 rodadas finais da competição.

"Não tem nada ganho. Deixa os outros falarem! Nós sabemos o quanto esse campeonato é difícil e não temos motivos para relaxar, pelo contrário. A motivação só aumenta para continuarmos o trabalho", apontou.

Diego Souza desfalcará o Palmeiras nas duas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro, contra o Avaí, dia 8, no Palestra Itália, e Náutico, dia 12, em Recife. O meia palmeirense vai servir a seleção brasileira nas partida contra Bolívia, dia 11, e Venezuela, dia 14, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

"É uma pena não estar presente em dois jogos de tamanha importância. Mas meu coração e o meu pensamento estarão com o grupo nessas duas partidas. Tenho certeza que temos condições de vencer, pois o nosso elenco tem qualidade para isso", completou o jogador.

De virada, Palmeiras conquista grande vitória na Vila


Em jogo válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009, o Palmeiras venceu o Santos na Vila Belmiro, de virada, por 3x1 na tarde deste domingo (04). Com o resultado, o Verdão manteve 5 pontos de vantagem na liderança do Brasileirão, faltando 11 rodadas para o fim.

Jogando em casa, a primeira chance do jogo foi do Santos, aos 3min, quando Pará recebeu na área e chutou com perigo para fora. Diego Souza também chegou perto do gol logo no início da partida, aos 7min, em chute forte de fora, mas a bola saiu. 3 minutos depois, outra vez Diego finalizou de longe e Felipe defendeu. O ‘7’ do Verdão continuou tentando marcar seu gol, aos 14min, ele cobrou falta da intermediária e a bola passou à esquerda.

Tentando tirar o zero do placar, o Palmeiras teve outra oportunidade aos 21min com Vagner Love que, depois de receber de Figueroa, fintou o adversário com o corpo e chutou por cima do gol de Felipe. Os dois times marcavam forte e apenas aos 33min houve nova chance de gol, do Palmeiras: Vagner Love arrancou pela direita, abriu para Obina que rolou para Souza arriscar de fora da área, para fora. Aos 39min, novamente Souza finalizou da entrada da área e Felipe segurou.

Aos 40min, Vagner Love tocou para Obina dentro da área e Felipe fez grande defesa. A equipe palestrina mantinha maior posse de bola e tomava as ações do jogo, mas o placar manteve-se inalterado durante o primeiro tempo.

No segundo, novamente a primeira chance foi da equipe santista: Aos 6min, Madson recebeu de Neymar dentro da área e finalizou, Marcos defendeu. Aos 9min, Neymar fez boa jogada e cruzou para Luizinho abrir o placar: 1x0 para o Santos. Aos 12min, Neymar finalizou no canto de Marcos, que conseguiu espalmar para escanteio. O Palmeiras voltou ao ataque aos 14min, quando Cleiton Xavier cobrou escanteio e Diego Souza cabeceou por cima.

O empate do Palmeiras veio aos 18min: Figueroa cruzou da direita e Diego Souza testou pro fundo do gol, 1x1! Aos 21min, Souza finalizou de fora da área para fora. O Santos voltou a assustar aos 23min, quando, em cobrança de falta, Madson bateu direto e a bola saiu com perigo. Aos 27min, Vágner Love ajeitou para Diego Souza, que fintou o zagueiro e cruzou para Robert virar o jogo, 2x1 para o Palmeiras!

A vitória ficou mais próxima aos 31min, quando Cleiton Xavier passou para Robert, dentro da área, que brigou com o goleiro e a bola sobrou para Vagner Love fazer o terceiro do Verdão, 3x1. Aos 38min, Edmilson viu o goleiro adiantado, tentou por cobertura e por pouco não fez um golaço.

A equipe alviverde trocava passes com precisão e a torcida palestrina gritava “olé” em plena Vila Belmiro. Aos 44min, novamente Madson assustou os palmeirenses em cobrança de falta, mas Marcos espalmou. O time do Palmeiras manteve a posse de bola e conquistou uma grande vitória fora de casa. O próximo desafio do Verdão é na próxima quinta feira (08), contra o Avaí no Palestra Itália.

Ficha Técnica

Santos 1 x 3 Palmeiras

Local: Vila Belmiro, Santos-SP
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho-SP

Santos
Felipe; George Lucas (Luizinho), Fabão (André Astorga), Eli Sabiá e Triguinho; Rodrigo Souto, Pará (Felipe Azevedo), Germano e Madson; Neymar e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Palmeiras
Marcos; Figueroa, Danilo, Maurício e Armero; Edmílson, Souza, Cleiton Xavier e Diego Souza; Obina (Robert) e Vágner Love (Willians).
Técnico: Muricy Ramalho

Cartões Amarelos: Madson e Kléber (Santos); Figueroa, Maurício e Willians (Palmeiras)

Gols: Luizinho 9min/2T (Santos); Diego Souza 18min/2T, Robert 27min/2T e Vagner Love 31min/2T (Palmeiras)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Tabela de jogos dá vantagem ao Palmeiras na reta final

Verdão só tem dois confrontos diretos contra concorrentes diretos, e ambos em casa; São Paulo e Inter têm tabelas desfavoráveis

SÃO PAULO - Atual líder do Campeonato Brasileiro com cinco pontos de folga sobre o segundo colocado Goiás, o Palmeiras tem mais uma vantagem na disputa pelo título nacional de 2009: os confrontos diretos.

O time de Muricy Ramalho tem apenas dois confrontos diretos contra os rivais pelo título, um contra o próprio Goiás, outro contra o Atlético-MG. Para um time que está à frente na tabela, é bom não colocar tantos pontos em jogo contra os principais concorrentes.

Embora difícil, a tabela do Atlético-MG também é favorável, mas pelo motivo oposto: é o time que tem mais confrontos diretos. O Galo ainda joga contra quatro dos cinco primeiros colocados, o que aumenta um pouco as chances de colar no líder. Afinal, se vencer esses jogos o time dependerá menos dos resultados alheios.

Na comparação entre Palmeiras e Atlético-MG, a vantagem é do time paulista, que faz seus dois confrontos diretos no Palestra Itália. Um deles é justamente contra o Galo, que ainda joga fora de casa contra São Paulo e Goiás. O único duelo atleticano contra os líderes que acontece no Mineirão é diante do Inter.

A tabela do Goiás é equilibrada. A equipe joga no Serra Dourada contra Atlético-MG e São Paulo, dois jogos bastante complicados. Na 32ª rodada, visita o Palmeiras, jogo que pode ser decisivo para o campeonato.

Já o São Paulo não tem o que comemorar. Embora ainda faça três jogos contra rivais diretos, não enfrentará o Palmeiras. Portanto, é preciso ganhar muitos jogos e torcer para o rival tropeçar bastante. O Inter, como o Tricolor, tem motivos para ficar apreensivo., já que atua contra São Paulo e Atlético-MG fora de casa.

Na próxima rodada, melhor para o Goiás, que recebe o ameaçado Botafogo. É uma boa chance de se aproximar do líder Palmeiras, que faz o clássico contra o Santos na Vila Belmiro.

domingo, 27 de setembro de 2009

Marcos: “Todos sabem suas funções dentro do time”


O goleiro Marcos, mais uma vez, fez uma grande partida pelo Palmeiras. O camisa ‘12’ foi muito importante ao time na vitória por 2x1 sobre o Atlético-PR no jogo deste sábado (26), no Palestra Itália. O jogador fez questão de parabenizar seus companheiros de equipe pelo esforço: “O time esta de parabéns porque jogar na quarta e depois no sábado, a gente sabia que ia ter um pouco de dificuldade, o importante é que a gente se segurou la atrás e conseguimos vencer”.

O pentacampeão, muito saudado pela torcida palestrina, que mais uma vez lotou o Palestra Itália, ressaltou a qualidade e o foco de todo o elenco: “Temos um conjunto muito bom, com algumas peças importantes, como Diego, o Cleiton, perdemos o Pierre machucado, o time é legal, estamos fazendo nossa parte bem feita e isso é importante num grupo que quer ser campeão. Todos sabem suas funções dentro do time”.

Palmeiras conquista vitória imprescindível contra Atlético-PR no Palestra


O Verdão conseguiu uma importante vitória por 2X1 sobre o Atlético-PR na noite deste sábado (26), no Palestra Itália, partida válida pela 26ª rodada do Brasileirão 2009. Agora, são 50 pontos marcados em 26 partidas, faltando 12 rodadas para o fim do campeonato.

Jogando mais uma vez com o estádio lotado, o time do Palmeiras tomou a iniciativa desde o início. Aos 4min, Diego Souza bateu falta à direita do gol de Galatto. Aos 7min, uma jogada rápida entre Vagner Love e Souza terminou em chute de longe do volante alviverde, para a defesa do goleiro atleticano. O adversário respondeu no minuto seguinte com Marcinho, em chute de longe rente à trave de Marcos. Aos 11min, novamente Marcinho, em cobrança de falta, assustou a torcida, mas o goleiro do Verdão espalmou.

Aos 17min, Obina arriscou de longe, a bola desviou no defensor atleticano e Galatto segurou no canto. Aos 20min, Figueroa deu bom cruzamento pra Obina, mas a cabeçada foi para fora. Aos 24min, Vagner Love pegou sobra de bola e mandou por cima. Aos 28min, Jumar finalizou de longe com força e Galatto espalmou. Aos 31min, Marcão recebeu na cara do gol, mas foi travado na hora ‘H’. Aos 40min, Figueroa cruzou e Maurício completou com perigo.

De tanto insistir, o gol palestrino finalmente saiu aos 42min: Danilo lançou Figueroa na ponta direita, o chileno invadiu a área e colocou lá dentro, fazendo seu primeiro gol pelo clube, em dois jogos disputados, 1x0 Verdão. O time do Parque Antártica ainda teve uma última chance antes do fim do primeiro tempo, após Diego Souza puxar a jogada pelo meio e tocar para Obina, que não pegou em cheio na bola e Galatto segurou.

Na segunda etapa, o Atlético-PR assustou no primeiro minuto com Marcinho, de cabeça, que recebeu cruzamento de Paulo Baier e mandou para fora. Logo depois, o mesmo Marcinho arriscou de longe, a bola foi desviada e saiu, também com perigo. Aos 8min, o Palmeiras chegou após o chute forte de Souza, de fora da área, tirando tinta da trave esquerda. O Atletico-PR empatou aos 16min: após escanteio cobrado por Paulo Baier, Chico desviou de cabeça, a bola bateu em Danilo e entrou.

A resposta veio aos 25min, também depois de cobrança de escanteio: Figueroa cobrou e Danilo desviou no contrapé de Galatto, 2x1 Palmeiras! Aos 33min, Paulo Baier cobrou falta direto e Marcos mandou para escanteio. No minuto seguinte, um chute muito perigoso de Netinho, de longe, e Marcos se desdobrou para segurar. Aos 36min, Edmilson perdeu a bola para Wesley, que invadiu a área, rolou para Paulo Baier, que finalizou, mas Danilo, em cima da linha, salvou o Palmeiras. Aos 41min, após cobrança de Wesley, mais uma vez Marcos fez uma defesa brilhante.

O Palmeiras conseguiu se manter na frente do placar até o fim do jogo, que terminou em 2x1 para o Verdão, no Palestra, para delírio da torcida, que mais uma vez fez bonito nas arquibancadas. O próximo desafio agora é dia 04 de outubro, domingo, contra o Santos na Vila Belmiro, jogo válido pela 27ª rodada do Brasileirão 2009.

Ficha Técnica

Palmeiras 2 x 1 Atlético-PR

Local: Palestra Itália, São Paulo-SP
Árbitro: Jailson Macedo Freitas-BA
Renda: R$ 1.008.031,24
Público: 23.395 pagantes

Palmeiras

Marcos; Figueroa, Danilo, Mauricio Ramos (Mauricio) e Marcão; Edmilson, Jumar, Souza e Diego Souza; Obina (Ortigoza) e Vagner Love (Willians).
Técnico: Muricy Ramalho.


Atlético-PR

Galatto; Chico, Manoel e Fransérgio (Geílson); Nei, Valencia, Rafael Miranda (Netinho) e Wesley; Paulo Baier; Marcinho e Patrick (Alex Sandro).
Técnico: Antonio Lopes.

Cartões amarelos: Jumar, Figueroa e Marcão (Palmeiras); Patrick (Atlético-PR)

Gols: Figueroa 42min/1T e Danilo 24min/2T (Palmeiras); Chico 17min/2T (Atlético-PR)

Treinador do Verdão enaltece torcida e pede paciência neste sábado

Durante a entrevista coletiva concedida na tarde desta sexta-feira (25), o técnico Muricy Ramalho enalteceu a torcida do Palmeiras e falou sobre o carinho da massa nas cidades por onde o time tem jogado neste Campeonato Brasileiro.

"A torcida do Palmeiras está fazendo a diferença. Em Recife [contra o Sport] e Salvador [contra o Vitória], nunca vi uma festa e um carinho tão grande. No Mineirão, a torcida foi incrível também. E eu me empolguei e fui no embalo", brincou, falando do respeito que ele tem com o torcedor.

"A gente precisa entender que essas pessoas tomam chuva e fazem um esforço incrível para ver o time do coração. Às vezes, as cobranças são naturais e normais, desde que feita com consciência. Mas a torcida do Palmeiras tem sido fantástica, e esse carinho me deixa muito feliz. Eu estou muito feliz com tudo o que está acontecendo aqui."

O comandante palmeirense falou das dificuldades que o time vai ter contra o Atlético-PR e pediu paciência do primeiro ao último minuto no duelo deste sábado.

"Eu conheço o Antônio Lopes e sei da capacidade dele e do Atlético-PR. É um time acostumado a jogar fora e sabe explorar os erros do adversário. O torcedor precisa entender que vai ser muito difícil. Quem for ao estádio, precisa incentivar e ter paciência durante os 90 minutos."

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Muricy Ramalho elogia postura do elenco após vitória no Mineirão


O técnico Muricy Ramalho concedeu entrevista coletiva logo depois de mais uma vitória alviverde no Brasileirão 2009. Entre as respostas aos jornalistas, o treinador fez questão de elogiar a postura do time, principalmente no segundo tempo, após a expulsão de Pablo Armero.

“Quando ficamos com dez, o time se portou muito bem. O tempo vai passando, a gente vai conhecendo o time e melhorando ainda mais. O jogo foi pegado, duro, mas não foi diferente do que vem acontecendo nesse Brasileiro ”, afirmou.

Além disso, Muricy fez questão de dizer que a vitória é fruto do “trabalho duro” que é realizado em São Paulo. Para ele, os jogadores entendem a importância disso.

“O elenco aceita tudo: trabalho duro, discurso que primeiro lugar é nossa vida, enfim, os caras se doam muito. Isso mostra que o time está querendo. A superação e a determinação dos jogadores no trabalho fazem a diferença”, disse.

Para conter os ânimos, após mais um resultado expressivo e a manutenção da liderança, Muricy mantém o discurso cauteloso, já que o Campeonato Brasileiro continua equilibrado.

“Ainda teremos muita pedreira. É bom passar calma para os jogadores, pois vencemos um jogo difícil, importante, mas o Campeonato é muito longo e está cada vez mais equilibrado”, finalizou.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Palmeiras derrota o Cruzeiro fora de casa e abre vantagem na classificação


Na véspera da partida contra o Cruzeiro, o atacante Vagner Love disse que o jogo no Mineirão seria chave para as pretensões do Palmeiras no Campeonato Brasileiro e o time mostraria por que é o melhor da competição. E foi exatamente o que aconteceu. O Verdão foi guerreiro, valente e, mesmo com um homem a menos, conseguiu suportar a pressão do rival. Com gols de Diego Souza e Vagner Love, saiu de campo com uma importantíssima vitória de 2 a 1. De quebra, voltou a vencer longe do Palestra Itália após quatro rodadas.

O resultado, além de fazer a equipe do Palestra Itália se isolar na liderança do Brasileirão, com 47 pontos, deixou o time três pontos à frente do São Paulo e quatro do Internacional. O Cruzeiro, que sofreu a 11ª derrota na competição, permaneceu na 13ª colocação, com 32 pontos.

. CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Os dois times voltarão a campo no próximo fim de semana. No sábado, o Verdão receberá a visita do Atlético-PR, às 18h30m, no Palestra Itália. A Raposa, no mesmo dia e horário, encara o Barueri, em São Paulo.

Início em alta velocidade

O Palmeiras entrou em campo com uma baixa de última hora. Edmílson, que voltou a sentir dores na coxa esquerda e acabou vetado pelo departamento médico. Isso frustrou os planos do técnico Muricy Ramalho, que havia planejado sua equipe com esquemas táticos mutantes, ou seja, variando entre o 3-5-2 e o 4-4-2. Com Jumar no meio-campo, o time foi definido com duas linhas de quatro.

A partida começou em ritmo acelerado. Coube ao Cruzeiro tomar a iniciativa. Logo aos 4, Kléber foi derrubado na área por Wendel, e o juiz Evandro Rogério Roman não marcou o pênalti. Três minutos depois, os mineiros abriram o marcador. Thiago Ribeiro recebeu de Henrique em posição legal, avançou sozinho e, cara a cara com Marcos, tocou com categoria, no canto esquerdo do goleiro. Foi o quinto gol do atacante no Campeonato Brasileiro.

Mas a galera cruzeirense nem teve tempo para comemorar, já que a resposta alviverde foi imediata. Dois minutos após o gol mineiro, o Verdão deixou tudo igual no marcador. E foi um golaço. Diego Souza, que voltava ao time após ter cumprido suspensão automática contra o Vitória, cobrou falta da intermediária com muito efeito, enganando o goleiro Fábio - a bola foi quase no meio do gol.

Aos 16, novo lance polêmico na partida. Gilberto fez bela jogada pela esquerda, invadiu a área e tocou para Fabrício, que, na hora do chute, foi acertado por Jumar, que cometeu pênalti, não marcado por Evandro Rogério Roman.

A igualdade no marcador fez com que as duas equipes seguissem buscando o gol. O Cruzeiro era mais incisivo, e o Verdão apostava nos contra-ataques, principalmente pelo lado esquerdo, nas costas do volante Elicarlos, que, improvisado na lateral-direita, deixava uma avenida nas costas. Aos 31, Armero fez bela jogada pelo setor, invadiu a área e bateu cruzado. Fábio fez bela defesa e, na sobra, a zaga cruzeirense afastou o perigo.

Nos últimos dez minutos, o time da casa voltou a levar perigo para o gol palmeirense. Foram três lances e, curiosamente, todos com Diego Renan. Aos 39, Fabrício desceu pela direita e cruzou na medida para o camisa 6, que chutou por cima do gol. Dois minutos depois, o mesmo lateral recebeu passe açucarado de Kléber, cortou a marcação e só não marcou um golaço porque Marcos fez grande defesa. E, já nos descontos, recebeu de Fabrício e, sozinho, avançou para o gol. Porém, adiantou no último toque, o que facilitou o corte do camisa 12 do Verdão.

Etapa complementar

Preocupado com os vacilos defensivos da equipe, o técnico Muricy Ramalho resolveu modificar o esquema tático do Palmeiras. Ele reorganizou o time no 3-5-2, com a entrada do zagueiro Maurício na vaga do atacante Robert. Com isso, Diego Souza foi adiantado para fazer dupla com Vagner Love. O Cruzeiro voltou com a mesma escalação.

Quando a bola rolou, o Palmeiras manteve sua filosofia de deixar o rival tomar a iniciativa e tentar encaixar um contra-ataque para marcar o segundo gol. E foi exatamente isso o que aconteceu aos 5. Diego Renan errou um passe no ataque, e Cleiton Xavier fez uma ótima assistência para Vagner Love, que, com tranquilidade, avançou, driblou Fábio e bateu para o gol vazio.

O que daria uma certa tranquilidade ao Palmeiras logo transformou-se em pressão. Isso porque o lateral-esquerdo Armero, que já tinha cartão amarelo, fez uma falta em Jonathan na entrada da área e acabou expulso. Muricy, então, voltou a reorganizar o time em duas linhas de quatro. Do lado cruzeirense, Adílson Batista partiu para o tudo ou nada e colocou o atacante Guerrón na vaga de Elicarlos.

Para aumentar a dramaticidade palmeirense, Wendel, com um corte na boca, precisou ser substituído. E o treinador palmeirense, então, promoveu a estreia do chileno Figueroa na lateral direita. A pressão cruzeirense era incrível. O Palmeiras, como não podia deixar de ser, recuou sua marcação e se defendia como podia. Vagner Love, Cleiton Xavier e Diego Souza, em vários lances, viraram volantes ou laterais. E as chances de gol do Cruzeiro apareciam em sequência.

Aos 25, Kléber ficou cara a cara com Marcos e chutou de pé direito. O goleiro alviverde desviou, e a bola, caprichosamente, bateu na trave. No lance seguinte, Guerrón desceu pela direita e fez cruzamento açucarado para Leonardo Silva, que cabeceou no canto de Marcos. Desta vez, ele só olhou. A bola raspou a trave e saiu.

Chuva aparece e Cruzeiro segue em cima

Aos 29, já com muita chuva no Mineirão, Muricy Ramalho resolveu mexer no ataque, para tentar segurar a bola no campo ofensivo. Ele sacou Vagner Love e colocou Willians. Do lado cruzeirense, Adílson Batista trocou o apagadíssimo Kléber por Wellington Paulista. Principal personagem da partida, por ter ido numa festa da principal torcida organizada do Verdão, o atacante foi muito vaiado pela torcida cruzeirense e aplaudido pela minoria alviverde presente no Mineirão.

Nos últimos minutos, o Cruzeiro tentou de tudo. O zagueiro Leonardo Silva virou atacante, o time subia com até seis, sete jogadores, mas o Verdão, na base do coração, montou uma barreira intransponível. E no fim, comemorou a vitória, que, se não foi justa, mostrou que o time está mais vivo do que nunca na briga pelo título do Campeonato Brasileiro.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Cleiton Xavier quer Palmeiras brigando pela vitória em BH


O fato dos resultados deste final de semana terem feito o Palmeiras permanecer na liderança do Campeonato Brasileiro não empolgou o meia Cleiton Xavier. Apesar de comemorar a manutenção da ponta, ele acha que o Palmeiras precisa fazer a sua parte e ir ao Mineirão para buscar os três pontos.

"Acho que não mudou muita coisa. O São Paulo e o Inter continuam colados e alguns times que estavam atrás também encostaram. Para nós, acho que o ideal é vencer. Vamos jogar para conquistar os três pontos", afirmou.

O camisa 10 do Verdão, no entanto, deixou claro que a tarefa da equipe diante do time mineiro não será das mais fáceis. "O Cruzeiro é um time muito qualificado, e se não estivesse disputando a Libertadores no começo do Campeonato Brasileiro, com certeza estaria brigando pelo título. Eles possuem muitos jogadores que fazem a diferença", destacou.

Um dos principais atletas da equipe nesta temporada, Cleiton comentou que o segredo para ter sucesso no Mineirão será o comprometimento de todo o grupo.

"Em todos os jogos a gente sempre tenta fazer o melhor, mas essa partida conta muito, pois a competição está chegando na reta final. Conquistar três pontos fora de casa nessa altura da competição é fundamental. Esse é um jogo que temos que dar um algo a mais e dar a vida para sair de campo vitorioso."

Elenco treina e Souza destaca preparação eficaz para jogo de quarta

Os jogadores do Palmeiras foram divididos em dois grupos no treino deste sábado, na Academia de Futebol. Enquanto o primeiro correu em volta do gramado, o segundo fez exercícios na sala de musculação. Depois, houve a troca e, ainda, um trabalho para o fortalecimento muscular dos atletas na caixa de areia.

Em entrevista coletiva, o volante Souza destacou a ótima preparação da equipe para o jogo diante do Cruzeiro, na próxima quarta-feira (23), às 21h50, no Mineirão.

“Treinamos forte essa semana, mas isso é muito bom, pois visamos uma boa preparação para esse jogo contra o Cruzeiro, que será importante para que o time se mantenha na frente”, analisou.

O jogador afirmou que não torcerá contra os adversários mais próximos na tabela, que jogam neste fim de semana. Para Souza, o mais importante é fazer um bom papel no Mineirão e vencer o Cruzeiro, pois o time depende apenas de si para continuar na liderança do Brasileirão.

“Temos que fazer nosso papel e buscar mais três pontos, mesmo jogando longe de nossa torcida. Se o Palmeiras vencer não terá de se preocupar com os outros times. Agora, é o momento de analisar jogo a jogo para buscarmos o título”, afirmou.

Logo depois das atividades, que duraram cerca de 1h30, os jogadores foram liberados. Eles retornam aos trabalhos apenas na próxima segunda-feira (21), às 15h30.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Elenco palmeirense promete mudança de atitude contra o Cruzeiro


Na reapresentação do Palmeiras na manhã desta terça-feira (15), na Academia de Futebol, os jogadores palmeirenses afirmaram que a derrota para o Vitória foi atípica pela apresentação do time durante os 90 minutos, e que a mudança de postura será nítida na partida do dia 23, contra o Cruzeiro, no estádio do Mineirão.

"Nós ficamos chateados com a postura do time. Até conversamos na reapresentação para corrigir alguns dos erros apresentados. Acredito que foi um jogo atípico, pois ninguém foi bem. Pode ter certeza que nossa atuação contra o Cruzeiro será totalmente diferente", comentou o zagueiro Marcão, em entrevista coletiva.

Para o meia Diego Souza, que também atendeu os jornalistas nesta manhã, o momento do Palmeiras é de alerta, mas não pode ser movido por desespero entre o grupo e os torcedores.

"Em estado de alerta e atenção a gente precisa estar sempre, pois não existe jogo fácil nessa competição. Se analisar o jogo, nós não fomos bem, mas o Vitória também jogou demais. Acontece que o Brasileiro é muito nivelado, mas não pode ter motivo para desespero ou abatimento. Nós ainda somos os líderes e vamos fazer de tudo para manter essa posição."

Ausência na derrota para o Vitória, o camisa 7 do Verdão citou as dificuldades que o time terá no jogo contra o Cruzeiro, mas deixou claro ser perfeitamente possível conquistar os três pontos.

"Mais do que jogar no Mineirão, vamos enfrentar um adversário embalado e que faz a melhor campanha do 2o. turno. Mas aqui é Palmeiras, não podemos ter medo. O time que jogar contra a gente sabe da nossa capacidade. Não é moleza vencer o Palmeiras, pode ter certeza", explicou o meia, lembrando da vitória em 2008 em Belo Horizonte, por 1x0, com gol do próprio Diego Souza.

Marcão completou dizendo que o fato dos principais rivais terem se aproximado do Palmeiras não vai fazer com que a equipe fica mais exposta às cobranças.

"A gente precisa se acostumar com a pressão. O 'cara' que vem jogar no Palmeiras precisa saber lidar com isso, e mesmo os mais jovens do grupo sabem desses detalhes. Estamos acostumados e preparados, pois desde o início sabíamos da dificuldade que seria disputar o Campeonato Brasileiro."

Atletas se reapresentam na Academia e iniciam semana de treinamento

Após ganhar a segunda-feira (14) de folga, o elenco palmeirense voltou aos trabalhos na manhã desta terça (15), na Academia de Futebol.

Os jogadores que entraram em campo, em Salvador, fizeram apenas trabalhos físicos, com corrida em volta do gramado e exercícios na sala de musculação.

Já os atletas que não atuaram no Barradão, foram comandados pelos preparadores físicos Anselmo Sbragia e Omar Feitosa em exercícios físicos e de fortalecimento muscular, na caixa de areia.

O zagueiro Maurício Ramos, que se recupera de contratura muscular no adutor da coxa direita, participou normalmente da atividade na caixa de areia, assim como os atacantes Lenny e Marquinhos.

No período da tarde, os jogadores retornam à Academia de Futebol, para atividades que serão comandadas pelo técnico Muricy Ramalho, visando à partida diante do Cruzeiro, dia 23/09, no Mineirão.

Ao mesmo tempo, o atacante Obina, que deixou o gramado do Barradão com torção no tornozelo direito, será reavaliado pelo departamento médico do Palmeiras, para saber qual a gravidade da contusão e o tempo de recuperação.

domingo, 6 de setembro de 2009

Vagner Love: “Foi uma boa estreia, mas ainda falta muito”


Depois de cinco anos, o artilheiro do amor está de volta. Vagner Love esteve em campo na vitória do Palmeiras sobre o Barueri por 2 x 1 no Palestra Itália, na noite deste sábado (05). O jogador, inclusive, marcou o segundo gol da partida, em cobrança de pênalti sofrido por Obina. Mesmo assim, ele reclamou da decisão do juiz: “eu já tinha sido derrubado antes”.

Perguntado sobre qual seria a avaliação a respeito de sua atuação, ele afirmou: “Acho que foi uma boa estreia, mas ainda falta muito”. O atacante fez questão de comentar o bom ambiente do grupo. Após ser questionado sobre o que ele poderia ressaltar em sua volta, disse: “eu ressalto a união do grupo, o time está de parabéns”.

Os companheiros de trabalho também falaram sobre Love. Antes mesmo de a partida começar, o técnico Muricy Ramalho já havia alertado: “ele conhece bem o Parque”. Diego Souza, que elogiou as qualidades do time do Barueri, comentou a volta de Vagner Love ao país: “foi a primeira vez q a gente jogou junto, ele é um jogador diferente e a gente vai procurar ajudá-lo nessa volta ao Brasil”.

Autor de mais uma assistência no Campeonato Brasileiro, alcançando, ao todo, a marca de 13 passes a gol, o maestro Cleiton Xavier ressaltou a importância de ter um jogador como Vagner Love no ataque: “o Vagner é rápido, muito inteligente, se desloca muito e facilita para a gente”. Questionado ainda sobre o cruzamento perfeito que deu para o gol de Diego Souza, Cleiton manteve a humildade: “vou continuar trabalhando quietinho e o importante é que a equipe vença”.

Palmeiras jamais foi derrotado pelo Barueri em toda a história

Palmeiras e Barueri já se enfrentaram em quatro oportunidades, sendo três partidas válidas pelo Campeonato Paulista e uma pelo Brasileirão.

Pelo campeonato estadual, em 2007, os times empataram em 1x1, no Palestra Itália. O gol palmeirense foi do atacante Cristiano.

No ano seguinte, vitória também por 3x0, na Arena Barueri, com gols de Léo Lima, Alex Mineiro e Diego Souza.

No Paulistão deste ano, o Palmeiras venceu por 3x0, no Palestra Itália, com gols de Keirrison, Diego Souza e Pierre.

O único jogo disputado pelo Campeonato Brasileiro foi no 1º turno deste ano, no empate em 2x2, na Arena Barueri.

Na oportunidade, ainda comandando por Vanderlei Luxemburgo, o time jogou com Marcos; Wendel, Danilo, Marcão e Armero (Jefferson); Pierre, Mozart (Marquinhos), Cleiton Xavier e Diego Souza; Obina (Ortigoza) e Keirrison.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Atacante Vagner Love é apresentado oficialmente pelo Palmeiras


Os diretores de futebol Genaro Marino e Savério Orlandi apresentaram oficialmente o atacante Vagner Love, de 25 anos, na manhã desta segunda-feira (31).

Muito feliz pelo retorno, o jogador não escondeu a emoção ao vestir novamente a camisa 9 do clube alviverde.

Dezenas de jornalistas estiveram na Academia de Futebol para registrar as primeiras palavras e imagens do novo reforço palmeirense.

Abaixo, confira os principais trechos da entrevista coletiva concedida por Vagner Love

Retorno ao Palmeiras
Tive um passado muito bom aqui e voltei ao clube pelo carinho de todos daqui de dentro e da torcida. Estou muito feliz por voltar e espero ajudar nessa caminhada no Brasileirão.

Seleção brasileira
Primeiramente, tenho que fazer de tudo pelo Palmeiras. Um bom trabalho pode me fazer voltar à seleção brasileira. Tenho que trabalhar forte, fazer o que eu fazia e algo a mais. Se voltar a seleção, será maravilhoso pra mim.

Desejo principal
Tem o algo a mais. O Palmeiras está na reta final de um Brasileiro e com possibilidade de ser campeão. Depois, disputar uma Libertadores. Esse é o desejo: ajudar o Palmeiras e no futuro disputar uma Copa do Mundo.

Arrepio por vestir a camisa
Nunca estive tão ansioso como nos últimos dias, de poder chegar e vestir novamente a camisa. Me arrepiei ao vestir a camisa. Quando acontece isso com um jogador é porque há muita força e estou muito feliz. Ficarei muito mais arrepiado e feliz no decorrer do meu trabalho.

Corinthians
Aquilo pra mim é passado, uma página virada. Naquela época eu era mais novo. Hoje, mais experiente não faria o que fiz e, em momento algum, eu vesti a camisa do Corinthians. O torcedor vai me ajudar aqui e farei o melhor para ajudar o Palmeiras e fazer todos felizes.

Favoritismo
O Palmeiras está brigando de igual para igual com os outros clubes e já era candidato ao título mesmo antes da minha chegada.

Condição física
Eu vinha treinando e jogando. Estou apenas a três dias sem trabalhar, mas isso não me fará perder o rendimento. Estou pronto e vou trabalhar durante a semana. Agora, depende da decisão do Muricy para saber quando irei estrear.

Time
Gostei do time, que está muito bem montado e treinado pelo Muricy. O mais importante no jogo diante do São Paulo foi ter somado ponto. Com certeza o time vai melhorar cada vez mais.

Mudanças
O tempo vai passando, a gente vai aprendendo muita coisa e tendo mais responsabilidade na vida. Aprendi muito nesses cinco anos na Rússia. Tenho a cabeça no lugar e penso sempre em conquistar meus objetivos.

Retorno à Rússia
Realmente foi muito bom meu trabalho na Rússia e o trabalho da diretoria do Palmeiras em me repatriar foi sensacional. Todos nós estamos de parabéns, meus procuradores, que ajudaram para que isso acontecesse, o CSKA, que permitiu esse retorno, e o Palmeiras.

Relação com a torcida
Não sei se vai haver problema, pois não tive contato com a torcida do Palmeiras, mas meu desejo é trabalhar e mostrar a todos que voltei para ajudar e dar alegria a eles.

Tranças verdes
É só tirar, lavar o cabelo, trançar e, em uma hora e meia, dá pra fazer esse visual (risos).

Adaptação
Lá na Rússia me adaptei super bem. Claro que a gente sente falta de muita coisa que há no Brasil, como o calor, por exemplo. Fiquei cinco anos sem calor, sem praia (risos).

Amor
Estou cheio de amor para dar aos meus filhos, esposa (risos) e, dentro de campo, sempre jogarei com amor. Gosto do que faço.

Artilheiros consagrados
Briga mesmo será entre os clubes. O Palmeiras está na frente. Mas, briga particular não vai existir. Se o Palmeiras for campeão e eu alcançar a artilharia, para mim será maravilhoso.

Clássico
Tentei a liberação antes do clássico para chegar aqui e jogar. É muito complicado chegar e ficar de fora de um jogo tão importante. Meu desejo era chegar, jogar e ajudar o Palmeiras. Não aconteceu, mas daqui pra frente farei de tudo para ajudar.

Ídolos (Diego Souza, Marcos ou Love?)
A torcida tem carinho por todos, mas pelo tempo e pelos títulos, o Marcos é o maior ídolo do torcedor palmeirense.

Esquema
Não importa como vou jogar. Jogarei onde o Muricy me colocar pra jogar. Mais recuado ou centralizado, farei o melhor para agradar ao treinador. Pra mim, é indiferente. Quando joguei aqui, atuei com o Edmilson, com o Munhõz e nunca tive problemas.

Copa do Mundo
Hoje há muitos concorrentes, ótimos jogadores que merecem estar na seleção. Tem Luis Fabiano, Pato, Nilmar, Robinho, Adriano, o Grafite, que está muito bem na Alemanha, atacantes de alto nível. Estou chegando primeiro aqui para fazer meu trabalho e também para brigar por uma vaga na seleção.

Ações de marketing
Fico feliz dos torcedores procurarem e comprarem camisas. Isso é bom para o clube e bom para mim. Isso aumenta minha vontade, meu desejo de fazer o melhor pelos torcedores do Palmeiras.

Temporada
Vou procurar fazer o meu melhor possível nesta temporada ao Brasil. Vamos deixar as coisas acontecer. Quem sabe eles [russos] mudam de ideia e me deixam ficar aqui. Tive cinco anos maravilhosos na Rússia. Tive a vontade de ir, a diretoria [do Palmeiras] que estava na época aceitou a proposta do CSKA e fui pensando na minha família. Não me arrependi, mas agora estou de volta para fazer tudo o que puder pelo bem do Palmeiras.

Zico
Pelo Zico eu não sairia, até porque estava bem, fazendo gols lá. Era um dos principais jogadores do time. Mas eu tinha o desejo de voltar para o Brasil, para o Palmeiras, e resolver algumas coisas que tenho pendentes aqui.

Palmeiras conquista empate valioso no Morumbi


São Paulo e Palmeiras ficaram no empate por 0 x 0 na tarde deste domingo (30), no Morumbi, em confronto válido pela 22ª rodada do Campeonato Basileiro 2009. A nova contratação palestrina, Vagner Love, assistiu o confronto no estádio. Com o resultado, o Verdão manteve 4 pontos de vantagem para o rival, sem mais confrontos diretos para acontecer entre os dois clubes neste ano.

O primeiro tempo, debaixo de muito sol, começou com o Palmeiras no ataque. Aos 4min, Rogério Ceni saiu jogando errado, Diego Souza recuperou a bola e cruzou para Armero, que bateu com muito perigo para fora. Aos12min, Washington arrancou, entrou na área e finalizou por cima do gol. Aos 16min, Dagoberto tocou para Jorge Wagner, que tentou bater no contrapé de Marcos, mas o pentacampeão foi buscar. Em seguida, Dagoberto arriscou de longe e novamente Marcos espalmou para escanteio.

Aos 19min, o zagueiro Maurício Ramos sentiu uma lesão e Marcão entrou em seu lugar. Aos 29min, Dagoberto ajeitou para Washington, que bateu firme para a grande defesa de Marcos. Aos 32min, Obina chutou quase sem ângulo e Rogério espalmou para a linha de fundo. As duas equipes lutavam muito, com bastante marcação de ambos os lados, o que fez com que a partida tivesse apenas mais uma chance de gol na primeira etapa: Aos 45min, Diego Souza roubou a bola de André Dias, tabelou com Ortigoza, mas errou na finalização.

Para o segundo tempo, o técnico Muricy Ramalho fez uma mudança na equipe do Palmeiras, colocando o volante Souza no lugar de Ortigoza. Pelo lado do adversário, Arouca entrou no lugar de Hernanes. Aos 6min, Armero avançou pela linha de fundo e cruzou para Diego Souza, que bateu prensado por Richarlyson e Rogério ficou com ela. Na sequência, Cleiton Xavier cruzou e Danilo cabeceou, a bola resvalou no travessão e saiu.

Aos 12min, Armero avançou pelo flanco esquerdo e bateu para fora. Aos 13min, foi a vez de Wendel atacar pela direita e bater para a defesa de Rogério Ceni. Aos 16min, Cleiton Xavier foi substituído por Deyvid Sacconi. Aos 21min, Arouca bateu de longe e Marcos espalmou para a linha de fundo. Aos 24min, Jorge Wagner cobrou escanteio e Miranda cabeceou para fora.

Aos 31min, uma grande jogada do Palmeiras. Diego Souza e Deyvid Sacconi puxaram contra ataque e a bola sobrou para Pablo Armero, que bateu firme para uma grande defesa de Rogério Ceni. No minuto seguinte, Diego Souza driblou o defensor são paulino, mas não pegou da forma com que gostaria na bola, que foi para fora. Aos 36min, Jean recebeu dentro da grande área e finalizou por cima. Aos 39min, Sacconi cobrou escanteio, Danilo ganhou pelo alto e Rogério defendeu.

Nos minutos finais, a partida ficou presa na forte marcação de ambos os times, fazendo com que o confronto terminasse em 0 x 0 . Agora, o próximo desafio do Verdão é sábado (05), no Palestra Itália contra o Barueri, jogo válido pela 23ª rodada do campeonato brasileiro.

Ficha Técnica

São Paulo 0 x 0 Palmeiras

Local: Morumbi, São Paulo-SP
Árbitro: Héber Roberto Lopes-PR

São Paulo

Rogério Ceni; Renato Silva, André Dias e Miranda; Jean, Hernanes (Arouca), Richarlyson, Jorge Wagner e Júnior César; Dagoberto (Hugo) e Washington (Borges).
Técnico: Ricardo Gomes.

Palmeiras

Marcos; Wendel, Maurício Ramos (Marcão), Danilo e Armero; Pierre, Edmilson, Cleiton Xavier (Deyvid Sacconi) e Diego Souza; Ortigoza (Souza) e Obina.
Técnico: Muricy Ramalho.

Cartões amarelos: Miranda e Jorge Wagner (São Paulo); Diego Souza e Obina (Palmeiras)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

domingo, 23 de agosto de 2009

Muricy aprova desempenho do time na vitória diante do Inter-RS

O técnico Muricy Ramalho gostou da atuação do time na partida da noite deste sábado (22), diante do Inter-RS.

Com a vitória, a equipe se manteve na liderança do Brasileirão 2009, agora com 40 pontos ganhos.
Logo depois do jogo, o treinador palmeirense comentou o desempenho de seus atletas, elogiou a atuação do zagueiro Maurício e falou, também, sobre o clássico diante do São Paulo, próximo compromisso do Verdão no campeonato.

Confira os principais trechos da entrevista:

Jogo contra o Inter
Nossa partida mais completa foi contra o Atlético-MG, mas claro que hoje fomos muito consistentes e aprovo nossa atuação. O que faltou nos últimos jogos foi o gol, pois tivemos muitas chances e não fizemos. Nossa defesa e nosso meio são muito fortes. O que estava faltando era isso, um pouco mais de profundidade e de jogadores na área do adversário, mas com os treinos vamos melhorando. Durante a semana vamos aperfeiçoar esse fundamento, que hoje foi importante para nossa vitória.

Coragem dos jogadores
Quando não se tem tempo para treinar, temos de fortalecer os jogadores na parte psicológica e pedi para que eles fossem para a concentração pensando no jogo. Concentração não serve apenas para dormir, mas para pensar nas qualidades e nas dificuldades que o adversário pode nos impor. Nisso, o time correspondeu muito bem.

Torcida
A torcida comprou a ideia e nos ajudou muito. Precisamos muito da torcida. Esse campeonato é muito duro. Ganhamos de um dos melhores times do Brasil e todos entenderam a importância e por isso conseguimos o resultado positivo.

Clássico contra o São Paulo
A semana vai ser especial porque terei um tempo para treinar. Nós podemos melhorar muitas coisas no treinamento. O ritmo do futebol hoje em dia está muito forte e não se consegue desenvolver o que os jogadores sabem com pouco tempo de treinamento. E, sobre o clássico, em qualquer lugar que volto sou bem tratado e acho que isso irá acontecer no domingo, pois as pessoas reconhecem o nosso trabalho.

Elenco
Tenho muita paciência para analisar as coisas e ouço muito as pessoas do clube, mas temos de fazer alguns exercícios. Quando perdemos jogadores importantes, como Cleiton e Diego, temos algumas dificuldades, pois o time é forte, difícil de ser batido quando está completo. Estamos olhando isso com carinho. Sempre é bom termos num time jogadores como Marcos, que é nosso capitão, Edmílson, que é experiente, pois eles empurram jogadores, como Cleiton e Diego, os incentivam bastante.

Diego Souza
Só falta ele ir para a seleção. Tem personalidade, é forte e chama a responsabilidade. Se um dia o Dunga tiver alguma dificuldade no setor, estará observando o Diego, que está pronto, é muito maduro.

Morumbi
No Campeonato Brasileiro nós temos que respeitar os adversários, mas o pensamento é de vencer o jogo. É clássico e você tem que se impor. Devemos respeitar, mas sem esquecer o pensamento de vitória.

Souza
Ele é muito pegador e tem ótima condição física. Ele tem que melhorar o passe, mas isso irá acontecer quando treinarmos mais, já que hoje os volantes são os armadores dos times, e não servem apenas para marcar. Mas, ele tem consciência disso e irei ajudá-lo muito neste sentido.

Reforços
Temos muitos atletas jovens, que precisam um pouco de experiência, mas isso se ganha apenas com o tempo. Estamos estudando alguns nomes, mas a camisa do Palmeiras é pesada e quem chegar tem que vir para jogar e não sentir a pressão.

Maurício
Nossos dois zagueiros são excelentes e agora ganhamos mais um, o Maurício, muito firme, muito rápido e com personalidade. Quando o chamei para o treino tático, não teve dúvida nenhuma e ele mostrou uma força impressionante diante do Inter-RS.

Pierre
Pedi ao Souza e ao Edmílson para que ficassem mais centralizados e deu tudo certo, mas o Pierre é fantástico e está numa fase excepcional. Fez muita falta e ainda bem que o teremos no próximo jogo.

Preleção
É obrigação do técnico preparar uma boa preleção. Temos de mexer um pouco com o emocional dos atletas. Não sou psicólogo, nem preparado para isso, mas tenho minha maneira de conversar com os jogadores. E, além disso, passo informações de como o adversário vai para o jogo e nossos jogadores gostam disso, são bem informados. Falo sempre para eles como vamos marcar o adversário quando não estamos com a bola, como as bolas paradas do adversário podem dificultar nosso trabalho durante o jogo. Um jogo como esse, igual, quem faz a diferença sempre é o atleta, e nunca o treinador. Mas, o que é muito legal aqui no Palmeiras é que as pessoas olham as coisas com olhar positivo. O presidente Belluzzo, o [Gilberto] Cipullo estavam lá e acompanharam nossa preleção com muito carinho. Ninguém faz bico, são todos muito parceiros. Por isso me sinto bem. Aqui é diferente, um lugar muito gostoso de trabalhar.

Estreando camisa III, Palmeiras vence o Internacional no Palestra Itália


O Palmeiras entrou em campo no Palestra Itália estreando a nova camisa III, com a cor azul e a cruz de Savóia no peito para enfrentar o Internacional pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com os desfalques de Maurício Ramos, Marcão e Pierre suspensos e o retorno de Marcos e Edmilson que estavam lesionados, além de Diego Souza que voltava ao time após cumprir suspensão automática contra o Coritiba, o Palmeiras começou dominando a partida e foi pra cima do Inter.

Logo aos 7 minutos Cleiton Xavier tentou a tabela com Diego Souza, e sofreu falta na entrada da área, que Diego Souza cobrou em cima da barreira. Mesmo com muitos passes errados, o Palmeiras continuou pressionando, empurrando o time do Internacional para seu campo defensivo. Aos 23 minutos P. Armero cruzou na área, Obina não alcançou a bola e Diego Souza chegou por trás chutando para fora.

O Palmeiras mandou na partida no primeiro tempo, aos 31 Souza bateu falta da intermediária, a bola passou perto do gol de Lauro, mas aos 35 o torcedor palmeirense também tomou um susto, o jogador Andrézinho recebeu a bola de Taison e chutou cruzado e a bola passou rente a trave de Marcos.

O susto mexeu com o time palmeirense, que no lance seguinte descontou o susto. Aos 37, Diego Souza fez jogada individual dentro da área e sofreu falta de Danny Moraes que recebeu amarelo. Pênalti para o Palmeiras que Obina conferiu com categoria no canto esquerdo. Palmeiras 1 x 0 Intenacional.

O jogo esquentou no final do primeiro tempo com muitas faltas de parte a parte, deixando o jogo truncado. O time do Internacional ainda tentou o empate no primeiro tempo, com a cobrança de falta de Andrézinho que passou perto do gol palestrino aos 45 minutos e já nos acréscimos Taison, o principal jogador da equipe colorada na primeira etapa tocou para Kleber que cruzou para Alecssandro, mas o zagueiro Danilo afastou o perigo.

O Palmeiras não mudou para a segunda etapa a não ser pela ausência de Cleiton Xavier que sentiu o tornozelo direito após uma torção e foi substituído por Deyvid Sacconi aos 11 minutos do primeiro tempo. Logo aos 2 minutos de jogo Diego Xavier fez excelente jogada individual e tentou de fora da área, a bola desviou em Sorondo caiu nos pés de Ortigoza que chutou na saída do goleiro Lauro. Palmeiras 2 x 0 Internacional.

Aos 6 minutos da segunda etapa, cobrança de falta ensaiada, Andrezinho bateu com muito perigo e Marcos só ficou na torcida, a bola passou muito perto do gol. O time do Internacional tentou pressionar para diminuir a diferença do placar e foi pra cima do Palmeiras, que por sua vez começou a utilizar os contra-ataques.

Num destes contra-ataques P. Armero recebeu a bola e bateu forte, obrigando o goleiro a uma grande defesa. Mas a pressão era do time do internacional que chegava sempre com Taison, Andrezinho e Kleber.

Após a pressão, o Palmeiras começou a equilibrar a partida e o jogo ficou aberto com chances para as duas equipes, mas o Inter era quem mais ameaça. O meia colorado Giuliano começou a se destacar com muita movimentação e chutes perigosos.

A partir do final da segunda etapa e depois de muito pressionar o meia marcou um belo gol, aos 41 minutos, quando recebeu a bola e acabou driblando dois defensores do Palmeiras e chutou no ângulo, sem chances para Marcos, diminuindo o placar para 2 a 1.

O Inter ainda teve uma chance de empatar o placar no ultimo lance da partida quando alecsandro, após escanteio cabeceou para fora. Final de partida Palmeiras 2 x 0 Internacional.

O Palmeiras, após o jejum de 4 jogos sem vitória segue líder isolado do campeonato com 40 pontos e confirma a posição de melhor time do primeiro turno já que o internacional que tem dois jogos a menos e 33 pontos não poderá alcançar o Palmeiras em numero de pontos.

O Verdão agora tem uma semana cheia para treinamentos e volta aos gramados pela 22ª rodada do Brasileirão contra o São Paulo no próximo domingo às 16hs no Morumbi.

Ficha Técnica

PALMEIRAS 2 X 1 INTERNACIONAL

Data: sábado; 21/08/2009
Local: estádio Parque Antarctica, em São Paulo (SP)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Eremilson Xavier Macedo e João Antonio Sousa Paulo Neto (ambos do DF)
Público: 22.101 torcedores
Renda: R$ 734.836,24
Cartões amarelos: Guiñazu, Danny Morais, Giuliano, Danilo Silva, Sandro (INT); Diego Souza, Deyvid Sacconi, Pablo Armero (PAL)
Gols: Obina, aos 39min do primeiro tempo; Ortigoza, aos 2min, Giuliano, aos 41min do segundo tempo

PALMEIRAS
Marcos; Wendel, Maurício, Danilo e Pablo Armero; Edmílson (Jumar), Souza, Cleiton Xavier (Deyvid Sacconi) (Sandro Silva) e Diego Souza; Ortigoza e Obina
Técnico: Muricy Ramalho

INTERNACIONAL
Lauro; Danilo Silva, Danny Morais, Sorondo e Kléber; Guiñazu, Sandro, Giuliano e Andrezinho (Wagner Libano); Taison (Bolaños) e Alecsandro
Técnico: Tite

Lançamento da nova camisa azul é destaque na imprensa italiana


O lançamento da nova camisa do Palmeiras, que ocorreu na última quinta-feira (20), foi destaque nos principais jornais da Itália. A cor azul do uniforme, ou da maglia azurra palestrina, é uma homenagem à seleção italiana. Outra remissão às origens italianas está no escudo, que nada mais é do que o brasão oficial da família Real italiana, a Cruz de Savóia, o primeiro símbolo do clube.

Confira onde a camisa III foi destaque na imprensa italiana:


Corriere Dello Sport

Tutto Sport

Tutto Mercato

La Repubblica

Calcio Mercato

Goal City

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Para Muricy Ramalho, próximas partidas serão decisivas

Após a derrota do Palmeiras por 1 a 0 para o Coritiba, no Couto Pereira, o técnico Muricy Ramalho concedeu entrevista aos repórteres e comentou a derrota e o pênalti duvidoso marcado pelo árbitro Péricles Bassols Cortez contra o Palmeiras.

“Foi uma partida muito disputada, o jogo foi muito truncado e com muitas faltas. No lance do Armero eu não vi direito, mas poderia até ter marcado [pênalti]. O problema foi depois disso, que ele começou a inverter tudo. No pênalti ficou claro que não aconteceu nada”.

Perguntado sobre as ausências de alguns jogadores do elenco para esta partida, Muricy comentou: “Os jogadores que não vieram a Curitiba fizeram muita falta para a equipe, são jogadores que fazem a diferença para qualquer equipe”.

O treinador ainda falou sobre o restante do campeonato: “Minha preocupação agora é o próximo jogo contra o Internacional. Depois disso teremos uma semana cheia para treinamento, o que irá trazer um melhor desempenho para as próximas rodadas, que serão decisivas para se tornar campeão brasileiro”.

Com pênalti polêmico, Coritiba vence o Palmeiras


O Coritiba derrotou o Verdão por 1 x 0 em jogo polêmico nesta quarta-feira (19), no Couto Pereira. O Palmeiras entrou com uma formação diferente, no 3-4-3, com Marcão na defesa, Daniel, Ortigoza e Obina no ataque. O gramado, encharcado, dificultou as ações de ambas as equipes durante a partida.

O jogo, truncado no meio campo e de muita marcação, só teve a primeira finalização aos 11min: Cleiton Xavier cobrou falta e Marcão desviou de cabeça, mas a bola saiu por cima do gol de Edson Bastos. Aos 15min, um lance muito parecido. Cleiton Xavier cobrou falta na área e Obina mandou para fora. Aos 20min, Cleiton Xavier girou em cima dos defensores e bateu para o gol e o goleiro adversário mandou para escanteio. Aos 22min, Bruno Batata ajeitou para Marcelinho Paraíba, que finalizou para fora. No minuto seguinte, Armero invadiu a área e chutou à direita do gol do time paranaense.

Aos 30min, Ortigoza recebeu, invadiu a área e bateu com força, mas a bola, mais uma vez, saiu. Aos 32min, Pierre tentou carrinho para desarmar adversário, escorregou com o gramado molhado e acertou o jogador do Coritiba. O juiz interpretou como jogada violenta e expulsou o palmeirense direto. Aos 34min, Bruno Batata cruzou rasteiro para Márcio Gabriel, que finalizou para fora.

Aos 39min, Leandro Donizete derrubou Jumar na entrada da área, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Aos 42min, Douglas Silva cruzou da esquerda para Marcelinho Paraíba, que cabeceou para o gol e Bruno foi buscar, fazendo grande defesa. A última chance do primeiro tempo foi de Obina. Aos 45min, o palmeirense recebeu de Cleiton Xavier, bateu para o gol, mas o chute explodiu no defensor do Coxa.

Aos 9min da segunda etapa, Marcão puxou contra ataque, tocou para Cleiton Xavier, que bateu para o gol para a defesa de Edson Bastos. O Palmeiras mantinha maior posse de bola. Aos 19min, Cleiton Xavier fez jogada individual e bateu colocado, mas Edson Bastos espalmou. Aos 23min, Marcelinho Paraíba tentou por cobertura, a bola bateu no travessão e saiu. Aos 25min, Pedro Ken bateu com força e Bruno segurou. Aos 34min, Cleiton Xavier bateu falta direto para o gol, a bola foi para fora. Aos 41min foi a vez de Marcelinho Paraiba tentar de bola parada, mas o lance teve o mesmo destino.

Aos 43min, o juiz viu pênalti de Marcão em Thiago Gentil e ainda expulsou o palmeirense. Na cobrança, Marcelinho Paraíba fez. O Palmeiras ainda tentou se recuperar, mas não deu. A recuperação palestrina pode vir no próximo sábado (22), diante do Inter-RS, às 18h30, no Palestra Itália.

Ficha Técnica

Coritiba 1 x 0 Palmeiras

Local: Couto Pereira, em Curitiba-PR
Árbitro: Pericles Bassols Cortez-RJ
Cartões amarelos: Jéci, Bruno Batata, Pedro Ken e Marcos Aurélio (Coritiba); Maurício Ramos, Armero e Robert (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Leandro Donizete e Pereira (Coritiba); Pierre e Marcão (Palmeiras)
Gol: Marcelinho Paraíba 46min/2T (Coritiba)

Coritiba
Edson Bastos; Marcio Gabriel (Marcos Aurélio), Pereira, Jeci e Douglas Silva; Leandro Donizete, Jaílton, Pedro Ken e Carlinhos Paraíba; Marcelinho Paraíba e Bruno Batata (Thiago Gentil).Técnico: Ney Franco.

Palmeiras
Bruno; Danilo, Mauricio Ramos e Marcão; Pierre, Souza, Armero e Cleiton Xavier; Daniel (Jumar) Ortigoza (Deyvid Sacconi) e Obina (Robert).Técnico: Muricy Ramalho

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Muricy faz análise positiva do primeiro turno e acredita no título brasileiro

Depois do empate por 1 x 1 contra o Botafogo-RJ, o Palmeiras se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro, agora com 37 pontos ganhos.

O técnico Muricy Ramalho afirmou que o jogo foi muito difícil, mas fez questão de dizer que o campeonato é longo e que a equipe lutará pelo título brasileiro.

Abaixo, os principais trechos da entrevista coletiva concedida pelo treinador palmeirense na sala de imprensa do Palestra Itália:

Avaliação do resultado
O jogo foi duro demais. Nossa maior preocupação era o pouco tempo de recuperação, mas o time lutou muito contra um adversário fechado. Ainda teremos muitos jogos. O campeonato é longo.

O que faltou?
É difícil falar. Tivemos chances de vencer o jogo, algumas chances claras de gol, com Diego Souza e Ortigoza, mas é difícil analisar. Alguns jogadores estavam muito esgotados. Ainda pensávamos que o time sofreria mais. Precisávamos da parte física mais apurada, mas o pouco tempo entre um jogo e outro não permitiu.

Passes
É um fundamento que temos que melhorar, ainda mais jogando em casa. É questão de treinamento. Uma coisa que prejudica o movimento do passe é a parte física do atleta. Além disso, o adversário dificultou também. Eles acharam um gol numa dividida de bola e jogaram no nosso erro. Isso complicou a partida.

Diego Souza e Cleiton Xavier
Os dois foram marcados individualmente e muito bem marcados. Mesmo assim, nossas melhores jogadas saíram com eles. O Diego perdeu um gol mas não se escondeu do jogo, pois é um jogador de personalidade e muito importante para nós.

Desgaste físico
O futebol está assim, corrido. Todos os jogos são assim. O adversário, que estava esperando a semana inteira, estava mais descansado, enquanto fomos disputar uma verdadeira final contra o Atlético-MG.

Retranca dos adversários no Palestra Itália
Nosso esquema é o mesmo de jogo, não mudou nada. Mas, o time que é líder sempre é o alvo. Os outros times vão nos estudar mesmo, mas precisamos achar uma maneira para entrar nas defesas dos adversários. Temos de fazer um pouco mais com relação a isso.

Análise
Estamos analisando o elenco com muito carinho e nosso time é muito forte. Sentimos um pouco quando algum jogador sai e perdemos o Obina e o Edmílson para o jogo contra o Botafogo. Sentimos a falta deles, mas nosso time completo é muito bom. Faço uma análise positiva do time até aqui. O primeiro turno foi muito bom e se continuar dessa maneira, podemos ser campeões.

Título simbólico do primeiro turno
Ano passado o Grêmio foi campeão do primeiro turno e perdeu o campeonato. A vantagem importante mesmo é continuar em primeiro. Isso faz a diferença.

Um jogo por semana
Jogar uma vez por semana é bom, principalmente pelo desgaste físico de todas as equipes do futebol brasileiro. Quando isso começar a acontecer mais vezes, será, sim, muito positivo.